Imagem capa - Você conhece de fato as etapas do investimento em Startups? por Camila Farani
GestãoInovaçãoInvestimentoEmpreendedorismo

Você conhece de fato as etapas do investimento em Startups?

Uma Startup é uma empresa jovem com um modelo de negócios repetível e escalável, sem o crescimento da estrutura de custos, outra característica das startups são de que precisam ter uma ideia inovadora e de valor. Dessa forma são empresas que tem grande possibilidade de crescimento e potencial de ganho para os investidores, diante disso os investidores que acreditam no propósito de uma empresa Startup e depositam uma quantidade de dinheiro e tempo que em muitos casos é distribuído entre mentorias e conhecimento, são chamados de investidores anjo.


Mas você como empreendedor(a) conhece como funciona o ciclo de investimentos de uma startup? Vou te explicar! A fase inicial, também conhecida por New Venture é na qual o produto ou serviço ainda se encontra na etapa do desenvolvimento e implementação.


Para a ideia ser de fato validada, é necessário a construção de um Mínimo Produto Viável, MVP. Dessa maneira, os investimentos podem ocorrer tanto por um investimento o anjo ou da sociedade, trazendo para o negócio uma dose de recursos visando no crescimento e transformação de uma ideia em uma empresa.


É importante também o lembrar sobre alguns pontos muito importantes na etapa do MVP:


i) Qual a viabilidade do negócio?

ii) A validação de que a ideia central soluciona uma dor sentida pelo público ou agrega valor?

iii) Potencial de inovação da ideia?


Além disso, um Mínimo Produto Viável para uma Startup precisar ter como foco central a capacidade da ideia reinventar-se com mais criatividade, e continuar atendendo ao público com resultados rápidos e soluções para as dores do cliente. Caso isso não seja possível são grandes as chances da Startup não conseguir um investidor para a sua ideia.


 Então, após a validação o e uma boa estruturação do plano de negócio em casos de que a Startup consiga apoiadores da causa. Ocorre o investimento através de um (pre)seed capital, também conhecido por Capital Semente que é um modelo de financiamento e possui como objetivo o auxílio na capacitação gerencial e financeira do negócio que se encontra já em fase de implementação  e planejamento de startups, por outro lado a sua materialização ocorre por um investidor anjo ou fundos semente.


Então, qual é a finalidade do Capital Semente e como funciona essa etapa do ciclo da Startup:


- Modelo de financiamento na fase de implementação e planejamento;

- O capital semente é considerado um sócio investidor;

- Em geral é organizado em fundos de investimento e distribuem capital semente em diversas empresas;

-  Os investidores possuem também o papel de orientação para as startups.


Após esse processo de desenvolvimento e implementação da ideia de maneira mais consistente, acontece a fase de expansão da empresa. Sendo esse um estado em que a mesma já se encontra com receita recorrente e possui como propósito de investimento, expandir seu negócio.


 Em muitos casos a mesma já se encontra Venture Capital, conhecido como capital de risco voltado para empresas de até médio porte e com potencial de crescimento e retorno financeiro, mas ainda se encontram na fase inicial e com faturamento baixo.


O Venture Capital ocorre por meio de rodadas de investimento conhecidas como Seed, Series A, Series B, Series C. Essa modalidade pode ser realizada através de Fundos e Investimentos em Participação (FIP) ou Fundos Mútuos de Investimento em Empresas Emergentes (FMIEE), que investem nas startups e passam a   fazer parte do quadro societário das mesmas.


Dessa maneira, a etapa do Venture Capital é voltada para startups em uma etapa mais avançada do ciclo:


- Uma modalidade de investimento para empresas até de médio porte;

- Para startups com crescimento rápido e rentabilidade futura alta;

- Através de diversas opções como aquisição de ações, direito de participação, entre outras.


Por outro lado, os fundos de Venture Capital por estarem após o processo do MVP da startup e se localizar em um estado mais avançado, também exige uma análise mais detalhada e rigorosa das métricas disponíveis da Startup.


Em seguida, após a expansão da empresa, a mesma entra no processo de profissionalização, em que ela já se encontra em uma nova etapa. Na qual, começa a se instituir processos, o time começa a crescer e o produto (tech) já se encontra mais robusto além de que o crescimento do negócio já ocorre de maneira consistente. Dessa forma, a empresa se coloca no mercado com o objetivo de garantir a estabilidade até que alcance um nível de consolidação sustentável.


Por fim, ocorre a etapa de consolidação, nesse nível do processo, os investimentos já são voltados para empresas com a organização institucional elaborada e lucros robustos. Ademais, possíveis financiamentos são realizados por fundos de Private Equity (PE), que é uma modalidade de investimento em que o investidor consegue aportar o capital próprio diretamente nas empresas com potencial de crescimento, esses disponibilizam de recursos para abertura de capital ou operações de venda, fusão ou aquisição de M&A. Com grande similaridade aos fundos de Venture Capital, mas com valores investidos superiores e em etapas diferentes do processo.


Sobre os Private Equity é de grande importância que:


- É um modelo voltado para investimentos privados;

- Voltado para startups já consolidadas a certo tempo no mercado com faturamento, mercado e clientes estabelecidos;

- Tem como foco final para quando as ações da empresa aumentarem;

- Possuem como objetivo final startups no mercado e com capital aberto, trazendo lucro para aquelas que ofereceram o Private Equity.


Com base nisso, o Ciclo dos Investimentos de uma Startup se inicia a partir de uma ideia com grande potencial de inovação, soluções e baixo custo. A partir, desse momento a ideia passa para a fase de New Venture, inicial que é voltada para o desenvolvimento mais aprimorado da ideia com o MVP.


  Após esse processo, caso a ideia tenha potencial de crescimento e atraia investidores, em alguns casos ela consegue um Capital Semente que se transforma em um sócio investidor da Startup e a partir do crescimento e expansão, é muito provável que a Startup consiga um capital de risco para seguir em prática, o famoso Venture Capital que será capaz de elevar diversos pontos na qualidade do serviço e potencial da empresa que por fim, irá fazer a consolidação em que a negociações ocorrem de forma mais detalhada e consistente