Imagem capa - Por que as Startups morrem? por Camila Farani
InvestimentoEmpreendedorismo

Por que as Startups morrem?

Um relatório lançado pela Startup Genome, referência em tecnologia de dados, aponta a principal causa da morte das Startups. A partir da análise de cerca de  3.200 startups, eles concluíram que, da maioria das startups que falharam, 70% falham devido ao dimensionamento prematuro. 


Com base nos resultados da pesquisa, e na minha leitura recente do livro não poderia concordar mais com essa causa. Ao longo dos anos pude notar que a grande maioria das startups falham porque tentam dimensionar muito cedo. Tanto em novas empresas, quanto e novos projetos, é preciso estar atento a cada período de desenvolvimento.


Mas Camila, o que é dimensionamento prematuro?


Eu costumo definir o dimensionamento prematuro como "gastar dinheiro além do essencial no crescimento do negócio”, por exemplo, contratação de pessoal de vendas, marketing, aperfeiçoamento do produto, escritórios de aluguel, etc. Todos esses avanços são muito positivos para as empresas, à questão é que mesmo fazendo coisas boas, as startups estão morrendo pois investem fora de ordem.


Como diz o ditado popular: “Não adianta passar a carroça na frente dos boi”. Por mais que os investimentos pareçam fazer sentido é preciso atingir um nível de maturidade e ESTABILIDADE antes de decolar o produto dessa forma. No entanto, a maioria das startups está perseguindo uma ideia: os fundadores, não importa o quanto eles acreditem em sua ideia, estão operando em um palpite sobre uma oportunidade desconhecida com uma solução potencialmente desconhecida. 


Todas essas incógnitas significam que precisamos gerenciar o processo de entrada no mercado de forma diferente e o número 1 da lista é evitar gastar dinheiro ampliando o negócio antes de realmente acertar o que os clientes desejam e qual a melhor estratégia para chegar até eles.


Por que o dimensionamento prematuro mata as startups?

Existem duas respostas possíveis para essa pergunta, que de certa forma se complementam. Primeiro, o dimensionamento prematuro esgota seu precioso dinheiro mais rapidamente, o que significa que você tem uma margem de erro bem menor para fazer reajustes. Uma das estratégias mais inteligentes para uma startup é economizar dinheiro sempre que possível, assim a empresa possui mais chances ajustar seu produto e o mercado. 


Segundo, o dimensionamento prematuro, na verdade, torna você menos ágil. Especificamente, quando você começa a contratar pessoas e investir em seu produto, você se torna organizacional e mentalmente comprometido com sua abordagem atual. Já que você investiu dinheiro e se comprometeu com um produto ou estratégia específico, mudar de uma hora pra outra envolve muito mais fatores, o que acaba por complicar um processo ágil. Em economia, isso é conhecido como a armadilha do custo afundado e, em psicologia, é conhecido como escalada de comprometimento - em ambos os casos, essa pode ser a causa da morte rápida de uma startup.


Por que as startups caem na armadilha? 

É preciso ter em mente, que Empreendedores possuem um perfil muito específico. Uma das características mais relevantes, é que se os empreendedores não acreditassem realmente em suas ideias, eles nunca teriam coragem de arriscar seus esforços, reputação e dinheiro começando um negócio próprio. 


Por trás de toda startup, está um empreendedor apaixonado. Devido a toda empolgação, esforço e uma fé quase que cega na ideia em que acreditam, geralmente os empreendedores não agem com racionalidade plena. O que eles quase sempre esquecem é um fato mortal: que sua crença é apenas um palpite sobre o que os clientes desejam, que precisa ser testado de forma rápida e interativa no mercado antes de fazer todos os outros avanços.


Como evitar o dimensionamento prematuro

A ampliação da startup só pode ocorrer quando o modelo de negócios está sólido. A ideia central deve estar bem estruturada, por isso reflita: Qual o problema e qual a solução proposta? Como se comporta o mercado perante essa solução? É preciso validar os aspectos gerais do modelo de negócio.


Mas não se esqueça que a startup deve ser flexível para evoluir conforme as condições de mercado. Por isso, é preciso definir uma fonte estável de receitas. Muitas startups falham ao tentar crescer sem uma base sólida. Afinal, ter um negócio na base da tentativa e erro não é interessante, o ideal é identificar as dificuldades e os gargalos de crescimento. Planejamento é fundamental.